Halloween: preparação para celebrar a Festa de Todos os Santos

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

A Festa de Halloween ou o Dia das Bruxas, como é mais conhecida, se popularizou no Brasil como uma comemoração folclórica popular, em que crianças e adultos se vestem de fantasias (quase carnavalescas) para se divertir. Entre os pequenos, há quem use as fantasias de bruxa pra fazer a famosa brincadeira do “trick or treat” (gostosuras ou travessuras). Mas, muitos se perguntam: “Que festa é essa?”.

*Dom Edgar da Cunha, bispo da Diocese de Fall River, EUA

Na origem, o Halloween, antes chamado de “All hallow’s eve”, significa “véspera de todos os santos”, já que se refere à noite de 31 de outubro, véspera da Festa de Todos os Santos. O bispo brasileiro da Diocese de Fall River, nos Estados Unidos, dom Edgar da Cunha, explica que a origem do Halloween é preparar as pessoas para a celebração da festa de todos os Santos. “Espantar os maus espíritos para purificar o ambiente e então celebrar a festa de todos os santos de forma pura e livre dos espíritos maus”, diz.

Em um artigo, o teólogo e filósofo André Botelho explica que a prática do Halloween vem do povo celta, o qual acreditava que, no último dia do verão (31 de outubro), os espíritos saíam dos cemitérios para tomar posse dos corpos dos vivos, visitar as famílias e levar as pessoas ao mundo dos mortos. Segundo André, os sacerdotes druístas (religião celta) atuavam como médiuns, evocando os mortos.

“Parece que, para espantar esses fantasmas, os celtas tinham o costume de colocar objetos assustadores nas casas, como caveiras, ossos decorados, abóboras enfeitadas entre outros”, ressalta.

De acordo com dom Edgard da Cunha, atualmente, a festa de Halloween tomou um novo sentido. As pessoas usam máscaras e assombrações sem saber o sentido ou o porquê do que fazem. O sentido original era para expulsar os espíritos maus e então poder celebrar a festa de Todos os Santos purificados.

O bispo de Fall River ressalta ainda que a Igreja nunca proibiu ou condenou a celebração de Halloween. “As pessoas devem ver o Halloween como uma tradição cultural que tem uma origem positiva para afastar o mau e celebrar o bem, ou tudo que é santo. Alguns, no entanto, veem isso como uma superstição e às vezes até uma apologia ao mau e aos maus espíritos, ou a tudo que é ruim”, esclarece.

Origens

*Foto: mediaphotos by Getty Images

O que é a contração do termo escocês “Allhallow-eve”, surgiu no contato da cultura celta com o Cristianismo. Essa festa é realizada, em grande parte, nos países ocidentais, sendo mais forte nos Estados Unidos, para onde foi levada por imigrantes irlandeses em meados do século XIX e chegou a ser parte do folclore popular.

Essa história de Dia das Bruxas surgiu, ainda, no antigo costume celta quando se supunha que os mortos vinham à Terra visitar seus familiares na noite de 31 e outubro. Por isso, segundo uma antiga lenda, as fantasias, as abóboras iluminadas, caveiras e etc. eram para afastar os visitantes do além. Com a proximidade dos celtas com o cristianismo essas práticas pagãs foram, em boa parte, cristianizadas pela Igreja, que instituiu a Festa de Todos os Santos, no dia 1º de novembro, e a comemoração de Finados, 2 de novembro.

*Fonte: Site da CNBB

Veja Também