Comunidade São Roque celebra o padroeiro

0

A Comunidade São Roque, pertencente à Paróquia Nossa Senhora da Glória, começa a celebrar seu padroeiro na próxima quinta-feira (30). A festa em honra ao santo, conhecido por ser o protetor contra as pestes, irá até o dia 2 de agosto (domingo). Vale lembrar que São Roque é celebrado no dia 16 de agosto, mas a festa é antecipada por conta da proximidade com as comemorações do dia de Nossa Senhora da Glória.

A programação na capela começa com tríduo em honra. As celebrações serão realizadas nos dias 30 e 31 (quinta e sexta-feira), às 19h, e no dia 1º de agosto (sábado), às 18h. No último dia do tríduo haverá após a missa, bênção da água e do Santíssimo Sacramento. Durante esses dias haverá funcionamento de barraquinhas no Largo São Roque.

No domingo, 2 de agosto, será realizada uma procissão em honra, às 9h, seguida de missa solene. O cortejo sairá da Capela São Roque, passará pela Avenida dos Andradas, Rua Barão de Cataguases, Rua João Pinheiro e Rua Paula Lima, voltando à Capela São Roque.

No dia 16 de agosto, dia do santo, haverá uma missa em honra, às 9h. A Capela São Roque fica na Avenida dos Andradas, s/n – Morro da Glória.

Confira a programação completa:

De 30 de julho a 2 de agosto – Tríduo em honra

Dia 30 de julho – quinta-feira

Tema: São Roque, modelo de pobreza
19h – Missa seguida de Bênção da Água e do Santíssimo Sacramento

Dia 31 de julho – sexta-feira
Tema: São Roque, modelo de pureza
19h – Missa presidida pelo arcebispo metropolitano de Juiz de Fora, Dom Gil Antônio Moreira

Dia 1º de agosto – sábado
Tema: São Roque, modelo de serviço
15h – Bênção dos animais domésticos
18h – Missa, com a bênção e distribuição dos pães

Dia 2 de agosto – domingo

9h – Procissão saindo da Capela São Roque, passando pela Avenida dos Andradas, Rua Barão de Cataguases, Rua João Pinheiro, Rua Paula Lima, voltando à Capela São Roque, onde haverá Missa Solene.
*Na quinta, sexta e sábado, haverá funcionamento de barraquinhas no Largo São Roque.

Conheça a história de São Roque

*Texto retirado do site: www.acidigital.com

Na Itália e França já se venerava São Roque no século XV, pouco depois de sua morte. São Roque era filho do governador de Montepellier, lugar onde nasceu em 1378, e à idade de 20 anos ficou órfão de ambos os pais. Durante a epidemia de peste que se desatou por aquela época na Itália, o santo se dedicou a assistir os doentes e conseguiu curar a muitos mais tão somente fazendo sobre eles o sinal da Cruz.

Estando em Piacenza, trabalhando em um dos hospitais, o santo contraiu a mortal enfermidade. Como não quis ser uma carga para nenhum hospital, decidiu mudar-se para fora da cidade, instalando-se em uma caverna. Entretanto, um cão o alimentou milagrosamente, e o dono do animal acabou por descobrir a São Roque prestando-lhe cuidados e atenção.

Quando recuperou as forças, o santo voltou para a cidade onde curou milagrosamente muitas pessoas e numerosas cabeças de gado. Retornou a Montepellier onde seu tio não o reconheceu e o deixou no abandono. São Roque foi detido, provavelmente porque foi confundido erroneamente por um espião, permanecendo no cárcere por cinco anos onde finalmente faleceu.

A popularidade e rápida extensão do culto a São Roque foi verdadeiramente extraordinária. Em sua tumba ocorreram muitos milagres, e são milhares os que o invocaram contra a peste.

Outras informações:
Paróquia Nossa Senhora da Glória – (32) 3215-1831
Assessoria de Comunicação Arquidiocese Juiz de Fora: (32) 3229-5450

Conteúdo Relacionado
X