Celebração Eucarística marca início litúrgico do II Sínodo Arquidiocesano

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

A Catedral Metropolitana de Juiz de Fora sediou, na tarde desse domingo (27), uma Celebração Eucarística muito especial na história de nossa Igreja Particular. Durante Santa Missa presidida pelo Arcebispo, Dom Gil Antônio Moreira, o II Sínodo Arquidiocesano foi aberto liturgicamente, depois de dez anos da realização do primeiro.

*Crianças e adolescentes vestiram-se com as cores dos continentes

A celebração marcou, também, o encerramento solene, em sintonia com o Papa Francisco e a Santa Sé, do Mês Missionário Extraordinário e do Sínodo para a Amazônia. Toda a ornamentação da Catedral indicava para ambos os eventos: a Cruz Missionária e a imagem de Nossa Senhora de Nazaré, Rainha da Amazônia; as cores representativas dos cinco continentes, lembradas no Círio e nas bandeiras e cartazes trazidos por crianças; as imagens dos patronos das missões, Santa Teresinha do Menino Jesus e São Francisco Xavier, também representados por dois adolescentes vestidos a caráter.

Durante entrevista, Dom Gil ressaltou o marco histórico daquela Eucaristia. “Este é um momento importante, porque celebramos o Sínodo há dez anos, tivemos uma caminhada pastoral e missionária intensa, e agora vamos fazer o II Sínodo revisando toda a vida da Igreja na cidade, no interior, e isto é muito importante para o crescimento e a vivência da fé nesta nossa Igreja Particular”.

Admissão às ordens sacras

*Candidatos ao Diaconato Permanente e Transitório foram admitidos às ordens sacras

Durante a missa solene, que contou com a presença de dezenas de padres, diáconos permanentes e seminaristas, 28 candidatos ao Diaconato foram admitidos às ordens sacras. Segundo Dom Gil, outra marca a ser atingida pela Arquidiocese de Juiz de Fora. “Hoje admitimos esses irmãos às ordens sacras. Momento que marca, de fato, a caminhada da Igreja em nossa Arquidiocese. Mesmo porque nunca houve uma ordenação de 28 pessoas ao mesmo tempo, como se Deus quiser, acontecerá no dia 7 de dezembro”.

O reitor do Seminário Arquidiocesano Santo Antônio e diretor da Escola Diaconal Santo Estevão, Monsenhor Luiz Carlos de Paula, falou sobre essa etapa da caminhada vocacional de rapazes e senhores rumo à consagração definitiva. “A admissão às ordens é esta apresentação ao arcebispo. O pedido foi feito para a ordenação e ele aceitou. Agora, são os preparativos finais até o momento da ordenação. Nós temos muito o que agradecer. São homens que querem servir a Deus, servir à missão da Igreja, que é evangelizar”.

Após a admissão às ordens, os três candidatos ao Diaconato Transitório precisam terminar o curso de Teologia, com a apresentação do TCC. “É como se fosse, ao mesmo tempo, uma conclusão e o início dessa caminhada de mais ou menos 40 dias para a nossa ordenação. Nos dias 11 a 15 de novembro estaremos na cidade de Bicas com nosso retiro espiritual em preparação para esse momento; o nosso pregador será o Frei Carlos. E também uma conversa individual com o arcebispo, que a gente chama de exame de ordem”, explicou o seminarista João Carlos Ventura de Oliveira. Junto com ele, receberão o primeiro grau do Sacramento da Ordem Kayo Cerqueira de Paiva e Leandro de Senna Monaia, além dos 25 senhores casados que se prepararam nos últimos quatro anos para receberem o Diaconato Permanente.

Sínodo Arquidiocesano

*Parte da Comissão Ampliada que organiza o II Sínodo. Da esquerda para a direita: Padre Dondici, Padre Everaldo, Dom Gil, Padre Vanderlei e Davi Maçaneiro

Ao final da celebração desse domingo, Dom Gil declarou oficialmente aberto o II Sínodo Arquidiocesano. Foram apresentados aos fiéis o hino, a oração e a logomarca da iniciativa pastoral, cujo início dos trabalhos está previsto para o dia 8 de dezembro. Também foi lido o decreto de convocação do Sínodo e a proposta dos missionários sinodais, que vão representar paróquias, pastorais, grupos, movimentos e congregações religiosas. Eles terão a responsabilidade de realizar as visitas e escutar às demandas das mais diversas realidades da Igreja Particular de Juiz de Fora.

O grupo de missionários sinodais será composto por: um representante de cada paróquia; três representantes de cada vicariato; três integrantes da Pastoral Juvenil, três do Conselho Missionário Diocesano (Comidi); três representantes das novas comunidades; um do Seminário Arquidiocesano Santo Antônio; um diácono permanente; e dois religiosos da Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB) em nossa Arquidiocese.

*Catedral recebeu centenas de pessoas na tarde de domingo (27), entre religiosos e leigos

O secretário do II Sínodo, Padre Vanderlei Santos de Sousa, explica o que vai acontecer a partir da sua abertura litúrgica. “A partir dessa belíssima celebração, a equipe do Sínodo vai se dedicar à leitura e estudo dos documentos que nos chegaram pelos relatórios e questionários que foram para as paróquias. Nós vamos trabalhar durante este mês de novembro para que, a partir do dia 7 de dezembro, quando for feita a segunda celebração, nós já tenhamos algum conteúdo para começarmos a fazer as reuniões das comissões, dos grupos”.

O lema do II Sínodo será “Proclamai o Evangelho pelas ruas e sobre os telhados” (cf. Mt 10,27). De acordo com Padre Vanderlei, é uma demonstração da intenção da Arquidiocese de Juiz de Fora em dialogar com todas as realidades de seu território, em prol da evangelização. “Nós percebemos no processo de estudos para propor o tema, o lema e os objetivos do Sínodo, que a Igreja em Juiz de Fora, e de um modo geral, precisa estar dialogando com as diversas realidades: da cidade, das novas mídias, os desafios que nós encontramos nos tempos atuais. Com este 2º Sínodo de Juiz de Fora a Arquidiocese quer abrir a suas portas para ouvir, dialogar e também levar a mensagem do Evangelho para todas as realidades”, finalizou.

A abertura dos trabalhos do II Sínodo está marcada para o dia 7 de dezembro, em missa solene na Catedral, às 14h30. Na ocasião, além do envio dos missionários sinodais, os candidatos ao Diaconato Permanente e Transitório serão ordenados.

Para o próximo ano, já estão previstas quatro sessões sinodais. Os encontros estão marcados para os dias 8 de fevereiro, 7 de março, 9 de maio e 20 de junho. Essas serão reuniões de estudo, espiritualidade e avaliação da caminhada da Igreja Particular de Juiz de Fora.

Envio de missionário para a Amazônia

Antes de bênção final, o Arcebispo Metropolitano surpreendeu a todos os presentes ao anunciar que o Padre Leonardo Loures Valle, atualmente pároco da Paróquia Santo Antônio do Paraibuna e assessor espiritual da Comissão Missionária Diocesana (Comidi), retornaria à Paróquia São Martinho de Lima, que fica na Diocese de Óbidos (PA), nossa Igreja-irmã.

O sacerdote, que trabalhou no local por mais de três anos, já havia demonstrado vontade de voltar à comunidade, que fica na Amazônia. Sua ida deve acontecer no primeiro semestre de 2020. Atualmente, a paróquia conta com o trabalho de dois sacerdotes do clero juiz-forano: Padre Bill Jonatas Silva Souza e Padre Samuel Carlos Moreira.

Paróquia dedicada à primeira santa brasileira

Outro anúncio feito por Dom Gil arrancou aplausos dos fiéis que acompanhavam a celebração na Catedral: o de que a Arquidiocese de Juiz de Fora ganhará uma paróquia dedicada à Santa Dulce dos Pobres. O local ainda será definido, mas já está decidido que a primeira santa brasileira também dará nome a uma nova forania.

Clique aqui e confira todas as fotos da celebração de domingo (27).

Veja Também