Santuário N. Sra. das Mercês – Mar de Espanha/MG

santuario nsramerces
Vista de frente do santuário - Foto: Pascom N.Sra. Mercês
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

*Adaptação do texto cedido pela Pascom N. Sra. das Mercês – com a colaboração da professora Norma Maria Vieira dos Reis

O arraial do Cágado de Nossa Senhora das Mercês , futuramente cidade de Mar de Espanha, começou a ser povoado com a rancharia que atendia às necessidades dos tropeiros que iam para São João Nepomuceno, Freguesia de São Manuel e dos Rios Peixe e Pomba (Rio Pomba), ou aos viajantes vindos da Corte. No local, foi erguido um cruzeiro para os viajantes fazerem suas orações. Antigos relatos falam de uma primitiva capelinha dedicada a Nossa Senhora das Mercês, já em 1820.

É atribuída a Custódio Ferreira Leite, o Barão de Ayuruoca, a construção da segunda igreja erguida no local onde hoje se encontra o Santuário. A atual matriz (Santuário) foi construída entre os anos de 1834 e 1840, com acabamento incompleto, era pequena, tinha apenas uma torre com a sacristia à esquerda, quase em frente à casa de Domingos Eugênio Pereira. Era a capela filial de São José do Além Paraíba, cujo capelão e depois cura foi Padre Felipe da Mota. O sacerdote era natural de Guarapiranga, foi ordenado em 18 de setembro de 1790 e falecido em 13 de março de 1834.

Em 12/01/1860 foi nomeada uma comissão para examinar o estado da velha Matriz, ameaçada de ruir. Em janeiro de 1872 foi proibida a celebração de missas em seu interior. A instituição do curato de Nossa Senhora das Mercês do Rio Cágado data de 14 de julho de 1832, através de documento assinado por Diogo Antônio Feijó, Ministro e Secretário de Negócios da Justiça. O arraial do Cágado, formado ao redor da capela, desenvolveu-se com bastante rapidez e foi elevado a vila em 1851 e, ao mesmo tempo, ganhava a denominação de Mar de Espanha.No mês seguinte, era o curato do Cágado elevado à paróquia pela lei mineira n.º 545, de 05 de outubro de 1851, porém não encontrado ainda o decreto canônico sobre sua ereção à Paróquia. A lei provincial n.º 997, de 27 de junho de 1859, elevou Mar de Espanha à categoria de cidade.

O 1.º vigário de Nossa Senhora das Mercês do Mar de Espanha, ainda com a velha Igreja elevada a matriz, parece ter sido o Padre José Antunes Siqueira, pois foi encontrado um registro, com a data de 08/12/1851, com a sua assinatura como vigário da Vila de Mar de Espanha. Como se encontra registrado no Livro Sinais da Igreja no Juiz de Fora -Tomo I – de Cônego F. Max. de Oliveira, a freguesia pertenceu à Diocese do Rio de Janeiro até 1897, quando por decreto pontifício de 16 de julho, foi transferida para a Diocese de Mariana.

Obras na Matriz
As obras da Matriz de Nossa Senhora das Mercês tiveram início em 1872, cabendo à Irmandade de Nossa Senhora Mercês a construção da matriz. Os sinos da Matriz têm 137 anos. Estão localizados na torre sineira em número de três, dispostos em uma estrutura de madeira, desde o ano de 1873. As obras estiveram paralisadas por algum tempo e o contrato para finalizar as obras foi firmado em 11 de abril de 1882, sendo concluídas dois anos depois.

Altares e demais objetos
Os antigos altares da Capela-Mor e laterais, o púlpito e a escada em caracol que dá acesso ao coro e a torre sineira, foram construídos na Alemanha. O harmônio também é de fabricação alemã e foi doado para a inauguração da matriz, em 24 de setembro de 1886. Já o relógio é de origem francesa, foi montado no Rio de Janeiro.

Consagração à Matriz e elevação a Santuário
Foi consagrada Matriz de Nossa Senhora das Mercês no mês de setembro de 1886 em uma cerimônia foi presidida por Mons. Raimundo de Brito, Vigário Geral do Rio de Janeiro, portanto, ficando sob o título de Matriz por 125 anos.Em 24 de setembro de 1986 foi elevada a Santuário, por decreto do então arcebispo metropolitano de Juiz de Fora, Dom Juvenal Roriz. Nele se encontra as relíquias de São Vicente de Paulo e Santa Luzia de Marillac, depositadas no Altar da Eucaristia e a de São Luiz Orione, recebida em setembro de 2004, por ocasião de sua canonização.No ano de 1994 foram pintadas oito telas nas laterais internas do Santuário, alusivas aos Passos de Nossa Senhora, e uma tela no fundo do altar, que retrata a devoção a Nossa Senhora das Mercês em Mar de Espanha. Estas pinturas foram executadas pelo artista plástico Benedito Carmo Soares. O Santuário também possui uma capela para adoração ao Santíssimo Sacramento. Pode-se afirmar que devoção a Nossa Senhora das Mercês criou fortes raízes em nossa cidade com a construção do Santuário pela Irmandade de mesmo nome.

2011- Comemorações do Ano Jubilar
Em 2011, o arcebispo metropolitano da Arquidiocese de Juiz de Fora institui o Ano Jubilar para comemorar os 160 anos de criação da paróquia e 25 anos de elevação da matriz a santuário.

A abertura oficial foi no dia 24 de janeiro de 2011, com celebração eucarística presidida por Dom Gil. O pastor concedeu indulgências parciais e graças especiais a todas as pessoas que visitarem o santuário durante o período de 24 de janeiro de 2011 até 24 de setembro do mesmo ano, já que as indulgências perdoam a temporalidade das penas para os pecados já perdoados sacramentalmente.

A Paróquia também recebeu as bênçãos do Santo Padre Bento XVI, trazidas em um pergaminho diretamente de Roma, por padre Eduardo Almeida Rocha, no dia 24 de junho de 2011. O dia do Padre, celebrado no dia 4 de agosto, foi festejado com grande alegria em nossa paróquia com a presença do clero diocesano e do arcebispo.

Veja Também