Retiro do Clero: pausa, reabastecimento e mergulho em Deus

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Desde segunda-feira (13), a primeira turma de padres está reunida para o Retiro Espiritual do Clero, no Centro de Formação de Liderança Cristã. Neste ano, o pregador é Dom Gregório Paixão, OSB, Bispo de Petrópolis (RJ) e o tema de estudo são quatro figuras femininas bíblicas.

Pela segunda vez conduzindo as reflexões do clero, Dom Gregório enxerga o momento como motivo de graça e alegria. Em entrevista ele explicou sobre o assunto abordado, que dialoga com o Ano Mariano na Arquidiocese. “O tema escolhido foi para falar de quatro mulheres da escritura. Mulheres muito conhecidas, como por exemplo a Samaritana, a mulher encurvada, …, ou seja, falar sobre a importância daquilo que foi o olhar de Jesus sobre essas mulheres e o que elas nos ensinam através do desejo de começar uma vida nova, do desejo de fazer com que suas vidas renascessem pela força do amor. É um desejo imenso de começar tudo outra vez”.

Ele ainda ligou esse ensinamento a oportunidade do retiro. “Acredito que o retiro é sempre um motivo para que a gente possa retomar a caminhada, revisar os passos, e, principalmente, retomar essa certeza que nós precisamos a cada dia: nós não estamos sós. Estamos com Deus, estamos com os irmãos, podemos contar com a beleza e a alegria de saber que muitas e muitas pessoas caminham conosco ao encontro dAquele que é a fonte de toda alegria. E, ao longo dessa caminhada, nós desejamos que tantas outras pessoas venham conosco para que conheça o que conhecemos, para que acolham Aquele que nós pregamos, e que conosco tenham a certeza de uma alegria que não passa, jamais, quando nós abraçamos a obra de Deus em nossa vida”, concluiu o bispo.

Segundo o Arcebispo Metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira, que também está participando do retiro, este é um momento importantíssimo no ano litúrgico e pastoral. “É um momento em que os padres param por uma semana, apenas para rezar, para estar diante de Deus. Sem isto a nossa pastoral e a nossa liturgia ficariam comprometidas. Portanto não é apenas um afastar-se, um retiro puro e simples, mas é um mergulhar-se na presença de Deus, em Deus mesmo, para receber dEle forças, para que possamos viver bem o nosso ministério sacerdotal”, afirmou ele.

Momento de Ação de graças

Durante o retiro, dois padres comemoraram seu aniversário nesta quarta-feira (15). Padre Rodney Henriques completou 19 anos de sacerdócio e Padre Rafael Neves, 43 anos de vida.

Em entrevista, Pe. Rodney comentou que gosta bastante de retiro e estar participando deste de forma mais especial, devido da data. “Eu pessoalmente amo fazer retiro. Justamente viver aquela experiência que o próprio Jesus viveu. Quantas foram as vezes que nós vimos o próprio Cristo se refugiar, se retirar para um lugar a sós e rezar ao pai em silêncio? […] Às vezes, a gente chega do final do ano meio cansado e o retiro é esse tempo de reabastecer de fazer um encontro pessoal conosco mesmo um encontro com Deus. Para mim é isso, é um reabastecer, é uma revisão de vida para retomar o caminho.

Reabastecimento também através da pausa nas atividades

Conversamos com outro sacerdote que considera o momento muito enriquecedor. Segundo Padre José de Anchieta Lima Moura, é tempo de reconciliação, de convivência, de viver com mais profundidade a espiritualidade do padre diocesano e a presença de um bispo vizinho, que em cada momento, “traz muita profundidade e nos ajuda a aproximar mais do sagrado”, disse ele.

O padre atualmente em Lima Duarte (MG), destacou a oportunidade de descanso das atividades e compromissos paroquiais. “Penso que ajuda a gente também a descansar um pouco das atividades pastorais, de desligar dos nossos planejamentos paroquiais e a viver um tempo de graça e de salvação. Então penso, ainda mais preparando agora para a Quaresma, mas ainda o retiro traz para nós um significado muito forte, muito especial, nos ajudar a crescer mais na vivência da Páscoa, que se aproxima”.

O retiro da segunda turma de padres da Arquidiocese de Juiz de Fora será de 24 a 28 de novembro, também no Ceflã.

Veja Também