Páscoa, tempo de perdão

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Com a Missa do Crisma, celebrada na Quinta-feira Santa, encerramos o tempo da Quaresma e, ao entardecer, iniciamos o Tríduo Pascal. Com ele, entramos no tempo feliz da Páscoa da ressurreição. Páscoa é festa do perdão de Deus a nós que somos frágeis, mas reconhecemos humildemente nossas faltas e queremos ter oportunidade de recomeçar.

Páscoa é festa do perdão aos irmãos que nos ofenderam e querem se reconciliar conosco para tudo reiniciar, como se nada tivesse acontecido. E isto é possível, pois o Senhor nos ensinou que é preciso perdoar 70 vezes 7.

Páscoa é festa do amor que se instala num coração que sabe perdoar, mesmo quando alguém nos ofende e ainda não se mostra arrependido, pois Páscoa é a festa que germina na mente que não paga o mal com o mal, mas responde o mal com o bem.

Páscoa é o inverso de ódio, de maledicência, de calúnia, de difamação, de preconceito. Páscoa é festa de paz, aquela paz que vem da manhã da ressurreição que muda o sofrimento em alegria, transforma a noite da morte em luz de ressurreição, que nos impulsiona para o Dia eterno que nunca terá fim.

Páscoa é sempre um reinício, um recomeço, uma esperança que não decepciona. Páscoa é passagem para uma vida nova, pois o pecado perde força diante da humildade, e se anula perante a sincera conversão do dia a dia. Páscoa é passagem de uma fé fraca para uma fé robusta.

Páscoa é passagem de Deus em nossa vida, e onde Deus passa, tudo se desembaraça, diz nosso povo. Onde Deus passa, tudo vira luz, paz, vitória e alegria.

Feliz Páscoa!

Dom Gil Antônio Moreira
Arcebispo Metropolitano de Juiz de Fora

Veja Também