Missa marca abertura do Ano Jubilar Centenário da Arquidiocese de BH

0

Uma missa marcou a abertura do Ano Jubilar Centenário da Arquidiocese de Belo Horizonte (MG) nesta quinta-feira, 11. A celebração eucarística foi presidida pelo Arcebispo, Dom Walmor de Oliveira. O presbítero é também Presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

A Catedral de Cristo Rei, além de abrigar o festejo dos 100 anos da arquidiocese, também acolheu a ordenação episcopal de Monsenhor Nivaldo dos Santos. O sacerdote foi nomeado bispo pelo Papa Francisco em dezembro passado.

Saudações e memória do Dia Mundial dos Enfermos

Em sua homilia, Dom Walmor saudou todas as autoridades civis e religiosas, além dos leigos e leigas presentes na celebração. O arcebispo reforçou a abertura do Ano Jubilar Centenário da arquidiocese e fez memória aos enfermos.

Nesta quinta-feira, 11, a Igreja celebra Nossa Senhora de Lourdes e o Dia Mundial dos Enfermos. “Gostaria de saudar os que estão em uma luta grande em razão da pandemia da Covid-19”, disse. O pastor assegurou as preces da Arquidiocese pelos enfermos de BH e do Brasil.

Jesus chama: “Segue-me”

Ao novo Bispo, Dom Nivaldo, o Arcebispo parabenizou pelos trabalhos pastorais desenvolvidos em BH. Dom Walmor sublinhou que o chamado ao episcopado é um chamado de Deus.

“É Deus quem te chama e diz, como disse a Pedro: ‘Segue-me’. (…) O ministério episcopal chama e consagra aquele que deve se tornar servidor do evangelho para a esperança do mundo”, destacou.

O Bispo deve ser um sinal de esperança para o mundo

A atual situação do mundo, com a crise sanitária da Covid-19, foi outro ponto de reflexão do Bispo. Ele ressaltou que a pandemia agravou a violência, polarização e desigualdade social. Diante disso, afirmou que a Igreja e seus pastores devem ser sinais da esperança. “Há uma falência da esperança”, frisou.

O Bispo, de acordo com Dom Walmor, é chamado a ser profeta corajoso, testemunha credível e servo fiel. “Uma tarefa enorme para congregar o povo de Deus neste horizonte”, reforçou. Para dar conta da missão, o presbítero comentou que é preciso compreender que há uma fonte, um caminho, uma pessoa que precisa ser seguida: Jesus.

Como Jesus, considerar o outro importante

Na celebração de abertura do Ano Jubilar Centenário da Arquidiocese de BH, Dom Walmor pediu ao clero e a todos os leigos que considerem o outro como importante. “É uma tarefa revolucionária”, pontuou.

Segundo o arcebispo, se cada pessoa considerar o outro importante em pequenas e grandes ações, o mundo viverá um tempo novo, diferente do atual. De acordo com Dom Walmor, a humanidade vive hoje a indiferença e desvaloriza a amizade social e a fraternidade humana.

“Quem tem os sentimentos de Cristo, como diz o Papa em sua mensagem para o Dia Mundial dos Enfermos, não tem tempo para falas que não constroem. (…) Quem tem sentimentos de Jesus não ataca, não condena, mas constrói com as palavras”.

Rito e fim da celebração

Após a homilia da missa de abertura do Ano Jubilar Centenário da Arquidiocese de BH, Dom Walmor concluiu o rito da ordenação episcopal. Ao final da celebração, Dom Nivaldo concedeu sua benção aos presentes.

Fonte: Portal Notícias Canção Nova

Conteúdo Relacionado
X