Emoção e fé marcam a Ordenação Episcopal de Dom Dirceu de Oliveira Medeiros

*Reprodução: YouTube da Diocese de São João del-Rei / TV Aparecida
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

O entoar do sino da Catedral Basílica Nossa Senhora do Pilar já anunciava que o sábado (4) seria um dia de festa, pois, pela primeira vez, seria ordenado um Bispo oriundo da Diocese de São João del-Rei (MG): Dom Dirceu de Oliveira Medeiros, bispo eleito para a Diocese de Camaçari. A Celebração foi presidida pelo Bispo ordenante, Dom Walmor Oliveira de Azevedo, Arcebispo Metropolitano de Belo Horizonte e Presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB); e pelos Bispos co-ordenantes, Dom José Eudes Campos do Nascimento, Bispo de São João del-Rei, e Dom Joel Portella Amado, Bispo Auxiliar da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro e Secretário-Geral da CNBB.

*Dom Gil cumprimenta Dom Dirceu após o rito de Ordenação

Vários (arce)bispos estiveram presentes na Ordenação Episcopal, entre eles, o Arcebispo Metropolitano de Juiz de Fora e Metropolita da Província Eclesiástica de Juiz de Fora – à qual pertence São João del-Rei -, Dom Gil Antônio Moreira. Dezenas de padres participaram, inclusive de nossa Igreja Particular: Dom Dirceu cursou Filosofia e Teologia no Seminário Arquidiocesano Santo Antônio e é muito querido. Representando a Diocese de Camaçari estava o atual Administrador Apostólico, Dom João Carlos Petrini.

Durante a homilia, Dom Walmor destacou que, com a consagração, o novo bispo recebe a mesma graça recebida pelos apóstolos. “Você vai receber, pela imposição das mãos, o dom da graça para ser pregador, apóstolo e mestre. Todo batizado e, de modo muito especial o bispo, como sucessor dos apóstolos, tem que ser, claramente, um apaixonado por Cristo”, disse.

Sobre o evangelho e o lema episcopal de Dom Dirceu – “Por tua palavra lançarei as redes” -, o presidente da CNBB disse que essa é uma grande experiência que Pedro passou e, com obediência, respondeu ao chamado do Senhor. “Não é apenas um comando, é uma experiência mística de grande e importante valor que a Igreja está desafiada a fazer para dar conta da sua missão de ser de comunhão e de participação de todo o povo de Deus.”

Consagração Episcopal

Durante a Ordenação Episcopal, acontecem alguns ritos que são específicos para o terceiro grau da Ordem: o ordenado recebe, sobre sua cabeça, o livro do evangelho, enquanto é feita uma oração. Em seguida, tem sua cabeça ungida com o Óleo do Santo Crisma e recebe o livro dos Evangelhos. Além disso, os símbolos que são específicos do ministério episcopal são recebidos durante a ordenação. O primeiro é o anel, sinal da fidelidade a Cristo; depois, é colocada sobre a cabeça do bispo a mitra episcopal, que evoca a nobreza da missão e a santidade com que deve ser exercida; o terceiro símbolo é o báculo, que significa o governo pastoral e a missão de apascentar as ovelhas da Igreja de Deus.

Após todo o rito, os bispos presentes acolheram o irmão no Episcopado com um abraço.

Agradecimentos

Em sua mensagem, Dom Dirceu fez uma série de agradecimentos e destacou que o período de dois anos e meio em que esteve na CNBB foi um verdadeiro mestrado, cuja experiência levará para sua vida e missão. Agradeceu também toda a acolhida que recebeu do povo de Camaçari e trouxe o exemplo do Papa Francisco para sua nova missão. “Que eu saiba caminhar à frente do rebanho para indicar caminhos; que eu saiba caminhar no meio do rebanho para encorajar aqueles que tendem a desanimar; que eu saiba caminhar atrás do rebanho, vigilante, para garantir que ninguém fique para trás.” Concluiu pedindo orações e dizendo: “Sigo com aquele pensamento de um grande santo da Igreja: ‘lá onde Deus me plantou é que eu sou chamado, então, a florescer e a dar frutos’.”

*Com informações e fotos do site da Diocese de Camaçari (BA)

Veja Também