Dia Internacional da Pessoa com Deficiência: iniciativas de acessibilidade que garantem a inclusão na Igreja no Brasil

0

Neste 3 de dezembro, dia em que a Igreja celebra o dia de São Francisco Xavier – considerado o maior dos missionários jesuítas e fundador dessas missões no Oriente, é celebrado no mundo o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência.

A data foi instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1992 com o objetivo de conscientizar a sociedade para a igualdade de oportunidades a todos os cidadãos, promover os direitos humanos, e celebrar as conquistas das pessoas com deficiência nos mais variados aspectos da vida.

No Brasil, a Igreja tem desenvolvido diversas iniciativas de acessibilidade, que garantem o direito à igualdade de oportunidades no âmbito eclesial. Há algumas décadas, Pastorais da Pessoa com Deficiência, movimentos e projetos têm sido implantados em diversas dioceses para garantir a participação daqueles que vivem com alguma limitação física ou mental.

Em São Paulo (SP), a Pastoral da Inclusão da Diocese de São Carlos, iniciou uma campanha de arrecadação financeira para aquisição de uma Impressora em braile. De acordo com a coordenação da pastoral o investimento é de R$ 25.000,00 reais.

Segundo a diocese, a pastoral está empenhada em adquirir uma impressora para possibilitar a acessibilidade dos deficientes visuais aos textos Sagrados, documentos da Igreja, folhetos de oração e os documentos oficias como o Plano Diocesano de Pastoral.

“Este passo é fundamental para inclusão e será um diferencial para nossa diocese, que já vem se destacando com a existência dessa pastoral. Esta impressora estaria instalada na sede do Setor Social e disponibilizaria estes impressos a toda nossa diocese”, ressalta a coordenadora diocesana da Pastoral da Inclusão, Michele Toso, no comunicado à imprensa.

Outras iniciativas de inclusão de Pessoas com Deficiência na Igreja no Brasil:

Em setembro deste ano, o Portal da CNBB mostrou algumas iniciativas de inclusão na Igreja no Brasil. Desde 1992, a Arquidiocese de Belo Horizonte (MG) conta por meio da Pastoral dos Surdos com o Curato Nossa Senhora do Silêncio, que desde abril de 2018, tem o padre Wagner Douglas como coordenador.

Segundo o religioso, o curato funciona como se fosse a paróquia da comunidade de surdos. “A comunidade realiza celebrações todos os sábados e diversas atividades de atendimento, acolhida e promoção da inclusão e acessibilidade e também oferece um curso de formação em libras”, disse em entrevista ao portal da CNBB.

Além disto, realiza encontros, batizados e casamentos com enfoque na língua de sinais, na cultura e no comportamento da pessoa surda. “Os surdos têm uma demanda muito grande de conversar e têm uma participação muito ativa na vida da comunidade e na celebração”, disse padre Wagner na entrevista.

No Rio de Janeiro, a Pastoral da Pessoa com Deficiência (Pasped) foi instituída em 2010 para concentrar todo os trabalhos individuais que já eram realizados na arquidiocese há cerca de 40 anos como a Pastoral dos Surdos, a catequese especial e a Fraternidade do Movimento Ecumênico de Pessoas com Deficiência. A experiência mais recente é a Pastoral dos Cegos com cerca de três anos.

Outra iniciativa na arquidiocese é de 2005, o Fórum de Pessoas com Deficiência que se reúne mensalmente, sempre na primeira quarta-feira do mês, do qual participam pessoas com diferentes tipos de deficiência: cadeirantes, cegos, surdos e pessoas com deficiência intelectual.

Projeto “Ide Além Muros”

Desde julho de 2019, a Pastoral da Comunicação (Pascom) e a Pastoral dos Surdos no Ceará iniciaram o projeto “Ide Além Muros”, uma proposta de acessibilidade por meio da língua brasileira de sinais – Libras para a evangelização nas comunidades.

A proposta é implantar o projeto em todas as paróquias do Estado a prática da acessibilidade em sua forma de acolher, comunicar e evangelizar. As paróquias que aderem e desenvolvem as ações – formações e práticas inclusivas – recebem um selo de acessibilidade do IDE. Em 2019, o grupo da paróquia Nossa Senhora Aparecida do bairro Montese, em Fortaleza (CE), gravou a novena de Natal em libras.

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2010 mostram que do total da população brasileira, 45,6 milhões de pessoas (23,9% ) declararam ter algum tipo de deficiência. Entre as deficiências declaradas, a mais comum foi a visual, atingindo 3,5% da população. Em seguida, ficaram problemas motores (2,3%), intelectuais (1,4%) e auditivos (1,1%).

Colabore aqui com a Campanha da Pastoral da Inclusão da Diocese de São Carlos.

Fonte: Site da CNBB

Conteúdo Relacionado
X