Dia do Catequista é recordado com estudo da Carta Apostólica “Antiquum ministerium”

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Na noite da sexta-feira, 27 de agosto, a Pastoral Catequética da Arquidiocese de Juiz de Fora promoveu uma live especial em recordação ao Dia do Catequista, celebrado no último domingo do mês. O tema abordado foi a Carta Apostólica sob forma de Motu próprio “Antiquum ministerium”, com a qual Papa Francisco instituiu o ministério do catequista.

O momento, conduzido pelos assessores da Pastoral, padres Emerson de Assis Braz e Gleydson Pimenta de Faria, foi protagonizado pelo Professor e Mestre em Bíblia Altamir Andrade. Waldirene Maria Barbosa, catequista na Paróquia São Geraldo (Teixeiras) e integrante da Coordenação Arquidiocesana da Catequese, também participou do evento on-line.

Ao introduzir as reflexões da live, Padre Emerson recordou que a pausa nos estudos do Novo Diretório de Catequese, iniciados em fevereiro, serviria para meditar, rezar e celebrar o Dia do Catequista com todos os catequistas da Arquidiocese de Juiz de Fora. “Papa Francisco escreveu a carta que institui o ministério do catequista, serviço que ainda hoje é tão necessário, tão importante, e por isso já está desde os primórdios da nossa fé e da nossa Igreja”, recordou. “Por isso, o Papa Francisco nos diz uma frase muito interessante que nós recortamos nessa carta: ‘O Espírito chama, também hoje, homens e mulheres para irem ao encontro de tantas pessoas que esperam conhecer a beleza, a bondade e a verdade da fé cristã’. Com essas palavras, nós iniciamos esse nosso momento de oração, de reflexão, para podermos celebrar e recordar que outrora o Espírito Santo ungiu corações para poder levar a mensagem do Evangelho. Também hoje, chamou-nos a cada um de nós, que somos catequistas, para continuarmos essa missão, ainda nesses tempos com luzes e sombras, imbuídos da força de Deus que nos acompanha hoje e sempre”, concluiu.

Em sua meditação acerca da “Antiquum ministerium”, Professor Altamir observou a tônica do Espírito utilizada pelo Santo Padre. “O Espírito na aurora da Igreja é a força que vai iluminando a cada um e a cada uma em qualquer lugar, seja na estrada, seja na viagem, seja no caminho; o Espírito fortalece, vivifica, ilumina. Não poderia ser diferente que a força do Espírito seja aquilo que orienta esse brevíssimo texto que nos enriquece de modo tão grande. Por 14 vezes o Santo Padre apresenta para nós a força do Espírito dentro do ministério do catequista. Um número bonito do ponto de vista da Sagrada Escritura: duas vezes sete”, apontou.

Para Padre Gleydson, a instituição do ministério do catequista pelo Papa Francisco veio como que um coroamento à dedicação desses leigos e leigas. “É importante que a gente consiga reconhecer que o ministério do catequista é tão antigo quanto o ministério da Igreja, de sermos discípulos, de sermos aqueles que nos colocamos, como a Sagrada Escritura recorda, ‘no caminho do Senhor’.” Já a catequista Wal, em nome de todos aqueles que acompanharam o evento virtual, agradeceu pela oportunidade de aprofundamento. “Reflexões que acalentam o nosso coração, mas, ao mesmo tempo, nos trazem o tamanho da nossa responsabilidade, do nosso compromisso como catequistas.”

A live está disponível na íntegra no Facebook e no YouTube da Arquidiocese de Juiz de Fora.

Veja Também