Custódio da Terra Santa faz apelo aos bispos do Brasil

Foto: Pixabay
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

O custódio da Terra Santa, Frei Patton fez um apelo ao episcopado brasileiro na última quarta-feira (17). Há mais de 800 anos, a presença franciscana na região preserva os lugares santos e contribui para que a fé se mantenha viva.

De acordo com o frei, desde o ano de 1217 o próprio fundador dos franciscanos, São Francisco de Assis, desejava esse fato. “Sucessivamente, em 1342, o Papa Clemente VI confiou-nos a custódia dos Lugares Santos. Missão essa confirmada pela Igreja em vários documentos e diretamente através das visitas dos papas; São João Paulo II, Bento XVI e Papa Francisco.”

Apelo do Custódio diante dos conflitos na Terra Santa

“Nesta situação, sentimos a necessidade da vossa proximidade e solidariedade. Antes de tudo através da oração, porque estamos convencidos de que somente a ação da graça de Deus pode mudar os corações e levá-los ao diálogo, a reconciliação e a paz. Depois, solidariedade e proximidade através das peregrinações à Terra Santa. Por fim, proximidade e solidariedade também através da partilha de recursos econômicos, para que possamos continuar a nossa missão, a missão da Igreja, a missão de todos nós.

Que o Senhor abençoe o vosso encontro nestes dias e o vosso compromisso pastoral, que Ele faça crescer o vínculo e a partilha entre as Igrejas.

Contem sempre com as nossas orações aqui nos lugares santos e será uma grande alegria recebê-los em peregrinação. Muito obrigado.”

50 anos da Exortação Apostólica de Paulo VI

Frei Patton recordou a Exortação Apostólica Nobis in Animo, de Sua Santidade, Paulo VI, ao Episcopado, ao Clero e aos fiéis de todo o mundo, que trata as crescentes necessidades da Igreja na Terra Santa.

“São Paulo já tinha no coração o cuidado com os primeiros cristãos. O próprio Apóstolo trouxe ajuda à Cidade Santa, vendo na Coleta um vínculo de unidade e comunhão entre as novas comunidades de cristãos e a Igreja nascente em Jerusalém”, afirmou.

Acrescentou, ao dizer, que tanto no tempo de São Paulo quanto ao longo de todo o período no qual os franciscanos estão na Terra Santa os desafios permanecem grandes.

Na atualidade, 270 religiosos franciscanos estão na Terra Santa e aproximadamente 50 jovens em formação com origem em 60 países diferentes.

* Fonte: Portal A12
**Com informações de  Vatican News

 

Veja Também