Arcebispo recorda terceira aparição de Jesus em celebração pascal na Catedral

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Na manhã do último domingo, o Arcebispo Metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira, celebrou a Eucaristia do III Domingo da Páscoa na Catedral.  Segundo ele, um domingo muito importante para todos católicos. Neste dia, 1º de maio, a Igreja faz memória de São José Operário, no entanto, como nesse ano não se celebrou sua liturgia, pois domingo pascal tem sua precedência litúrgica.

Durante a celebração, o pastor recordou que o tempo pascal é um tempo de alegria, pois Jesus está vivo e não morre mais. Além disso, ele explicou a terceira aparição de Jesus. “Esta foi a terceira vez que Jesus apareceu, segundo São João, para os apóstolos; ali na Galileia, não mais em Jerusalém, mas ao lado do lago de Genesaré, onde Jesus reuniu seus discípulos pela primeira vez. Ali Jesus faz o milagre da pesca milagrosa, come com os discípulos e depois também confirma a missão de Pedro como chefe dos apóstolos e da Igreja”, disse Dom Gil.

Ele também esclareceu que, no diálogo do Senhor com Pedro, Cristo queria pedir um serviço maior para Pedro, por isso ele precisa amar mais do que os outros. “Vimos a confissão bonita de Pedro, três vezes repetida, eu te amo. A Igreja precisa desse amor”, afirmou o Arcebispo. Ele prosseguiu dizendo que aquele que se tornou bispo de todas as sedes do mundo é símbolo de unidade, unidade este que é recordada no Sínodo dos Bispos.

“Então é um domingo muito importante e emocionante para nós. Com Cristo que nos ama, confia em nós, perdoa, como perdoou a fraqueza de Pedro que o negara e agora recebe sua confissão e também lhe dá uma grande responsabilidade”, concluiu Dom Gil.

Ao final da Santa Missa, uma ave-maria foi rezada pelos trabalhadores, pelas relações trabalhistas, para que elas sejam cada vez mais justas, e para que não haja desemprego para ninguém. Além disso, a figura de São José foi lembrada, como aquele trabalhador de Nazaré que sustentou honestamente a sua família.

Veja Também