Arcebispo de Juiz de Fora fala sobre bens culturais da Igreja em reunião com Secretário de Estado de Cultura e Turismo

*Foto: Facebook da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Na última segunda-feira, 6 de junho, o Arcebispo Metropolitano de Juiz de Fora, Dom Gil Antônio Moreira, reuniu-se com o Secretário de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais, Leônidas Oliveira, em Belo Horizonte. O Administrador da Paróquia Santo Antônio de Chiador (MG), Padre Kayo Cerqueira de Paiva, também participou do encontro.

*Foto: Facebook da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais

O tópico principal da reunião, de acordo com Dom Gil, foram os bens culturais da Igreja. “Ele nos atendeu maravilhosamente e nos ajudou muito com as suas sugestões sobre restauração de igrejas, de imagens e de tudo aquilo que diz respeito ao patrimônio artístico da Igreja. As suas palavras, as suas sugestões, o seu apoio, são coisas maravilhosas para nós. Eu quero agradecer a Deus por esta reunião e espero que ela represente para a nossa Arquidiocese de Juiz de Fora, e até para o Regional Leste 2, uma grande bênção no nosso trabalho de cuidar dos bens culturais, da arte sacra, da beleza sacra como veículo de evangelização. Sem beleza não se evangeliza”, disse o Arcebispo em entrevista à WebTV “A Voz Católica”. Vale lembrar que Dom Gil é o Vice-Presidente da Comissão de Bens Culturais da Igreja do Regional Leste 2 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

Segundo Leônidas Oliveira, o Estado de Minas Gerais reúne 62% do patrimônio histórico tombado do país. “A Igreja Católica tem uma grande história de manutenção, de mantenedora, de mecenas da arte nos seus dois mil anos de história. E quando nós temos uma tarde, como tivemos com Dom Gil, de refletir sobre a importância dessa arte religiosa e de buscar mecanismos para proteção, restauração e recuperação constante desse patrimônio religioso, é também um sinal de fé”, afirmou o Secretário de Estado de Cultura e Turismo.

*Foto: Facebook da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais

“É muito importante para a vida da Igreja e para a expressão da nossa fé o que a arte representa. A beleza nos eleva a Deus. O bem cultural é também algo que reza, é algo que nos leva a evangelizar. De fato, é um encontro como que perfeito entre Deus, o Supremo Criador, o Artífice do universo, e a humanidade, a obra criada”, refletiu Padre Kayo.

De acordo com publicação nas redes sociais da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo, na reunião também foram abordadas as restaurações de imagens na Fundação de Arte de Ouro Preto (FAOP) que, em breve, serão entregues à comunidade, e a restauração da Igreja de São José das Três Ilhas, distrito de Belmiro Braga (MG). Além disso, foram reforçadas as várias formas de captação de recursos para a proteção do patrimônio histórico da Igreja.

Veja Também