Presídio Feminino Eliane Betti é inaugurado com bênção de Dom Gil

0

Essa segunda-feira, 8 de outubro, foi muito importante na vida de cidadãos privados de liberdade e para o sistema prisional mineiro devido à inauguração do Presídio Feminino Eliane Betti, em Juiz de Fora. O novo espaço é bastante comemorado por conta do problema da superlotação, visto que 161 mulheres dividiam um espaço com capacidade para apenas 34, no pavilhão 4 da Penitenciária Professor Ariosvaldo Campos Pires. O arcebispo metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira, esteve presente para abençoar o local.

O diretor geral da PJEC, Marcos Adriano Francisco, entrega homenagem ao juiz titular da Vara Execuções Penais, Evaldo Elias Penna Gavazza

A nova unidade prisional, localizada no Bairro Linhares, é um anexo à Penitenciária José Edson Cavalieri e tem capacidade para 200 pessoas. A construção do espaço, financiada por recursos de prestações pecuniárias (valores provenientes de transações penais ou sentenças condenatórias) foi também fruto da caridade. Isso porque a mão de obra foi formada pelos presos e por agentes penitenciários, que trabalharam de forma voluntária como pedreiros, pintores, serralheiros, entre outras funções, mesmo nos finais de semana. E o resultado parecia orgulhar os presentes, com alguns acautelados emocionados, além do diretor geral da Penitenciária, Marcos Adriano Francisco.

Para o assessor eclesiástico da Pastoral Carcerária Arquidiocesana, Padre Welington Nascimento, “a Igreja de Juiz de Fora fica muito feliz com o empenho da Vara de Execuções Penais de Juiz de Fora, do seu juiz titular, Dr. Evaldo, do estado e dos diretores pelo êxito na construção do anexo que vai acolher as mulheres presas aqui na cidade. Que os presídios sejam lugares que se tenha sua dignidade humana respeitada”.

O juiz titular da Vara Execuções Penais, Evaldo Elias Penna Gavazza, atribuiu o sucesso da construção à sua equipe, àqueles que participaram do processo e afirmou: “Todas as vezes em que a gente consegue melhorar a vida de um irmão é sempre uma vitória da comunidade. Essa é uma obra social de humanização. Todos ajudaram nessa obra, isso que é solidariedade”.

A cerimônia de inauguração contou com a presença de diversas autoridades do sistema penal, presidiários que ajudaram na construção do anexo, agentes penitenciários e das mulheres que, nos próximos dias, estarão no novo ambiente. O local conta com pátio para banho de sol, celas com camas individuais, salas para atendimento de serviços social, de psicologia, jurídico, enfermagem e educacional, além de uma brinquedoteca destinada aos filhos das presas.

Padre Welligton faz a leitura do Evangelho durante a bênção do espaço

No final da cerimônia, o presídio foi aberto e Dom Gil o abençoou. O momento de oração contou com a leitura da Palavra que fala do compromisso com os encarcerados: “Então o Rei dirá aos que estão à direita: – Vinde, benditos de meu Pai, tomai posse do Reino que vos está preparado desde a criação do mundo, porque tive fome e me destes de comer; tive sede e me destes de beber; era peregrino e me acolhestes; nu e me vestistes; enfermo e me visitastes; estava na prisão e viestes a mim” (Mt 25, 34-36).

Na sequência, o arcebispo aspergiu o local com água benta e falou da importância da caridade e do amor ao próximo. “Temos uma das melhores pastorais carcerárias do Estado de Minas. O Padre Welington faz um trabalho ótimo, toda semana está aqui”. Além do trabalho da pastoral, a Catedral Metropolitana tem suas portas abertas para os presos acautelados participarem, com suas famílias, do projeto “Presos na Missa”, que acontece sempre em novembro. A próxima celebração está prevista para o dia 18 do próximo mês, às 10h.

O Presídio Feminino Eliane Betti está com a obra quase concluída, faltando apenas detalhes de pintura e acabamentos. A expectativa é de que, na próxima semana, as presas sejam transferidas para o local. Vale ressaltar que apenas agentes penitenciárias femininas trabalharão nesse ambiente.

*Com informações da Assessoria de Comunicação Institucional
Tribunal de Justiça de Minas Gerais – TJMG

Conteúdo Relacionado
X