Missão Continental Juiz de Fora / Haiti

Como tudo começou… 

No dia 16 de julho de 2017, um grupo de seis pessoas da Arquidiocese de Juiz de Fora, incluindo o arcebispo metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira, embarcou para o Haiti. A viagem ao país mais pobre das Américas teve o objetivo de estudar a possibilidade da criação de uma base missionária de nossa Igreja Particular no local.

Além de Dom Gil, a comitiva foi composta pelo bispo da Diocese de Leopoldina, Dom José Eudes Campos do Nascimento, e por cinco pessoas pertencentes à Comunidade Jovens Missionários Continentais (JMC): Ana Maria Roberto, Marina Lopes de Assis, Myria Izabel Carvalho de Araújo, William Câmara de Araújo e Wilmar José Pereira de Carvalho.

Alguns dos missionários ficaram por dez dias no país caribenho, outros, um pouco mais. Em comum, todos trouxeram nas malas bonitas recordações e a certeza de terem passado por um país sem estrutura, onde é quase inexistente o saneamento básico, a água tratada e o transporte público, e de terem visto uma população vivendo na completa miséria, em moradias modestas, sem auxílio de saúde e com alimentação precária. As lacunas deixadas pelo governo local são parcialmente preenchidas por trabalhos de organizações não-governamentais e grupos religiosos.

Na passagem pelo Haiti, a comitiva da Arquidiocese de Juiz de Fora foi recebida pelo Chanceler do Arcebispado, Monsenhor Chady, que acolheu com muita alegria e agradecimentos o projeto missionário juiz-forano, comprometendo-se a levá-lo ao Arcebispo, Guire Poulard, que passava por tratamento de saúde. O grupo esteve ainda com o Núncio Apostólico no país, o irlandês Eugene Martin Nugent, passou pelo 26º Contingente do Batalhão Brasileiro de Força de Paz (BRABAT 26) e conheceu as instalações e o trabalho realizado pela Missão Belém. O centro-escola mantido pelo projeto atende a 1.100 crianças e jovens haitianos até 18 anos de idade, oferecendo alimentação, educação e instrução religiosa.

O grupo ficou hospedado em Porto Príncipe, na residência dos Freis Franciscanos na Providência de Deus, que realizam trabalhos sociais junto à população local, principalmente ligados à saúde, com atendimento médico e dentário. Os religiosos também coordenam a fabricação de pães por 17 mulheres haitianas, e realizam trabalho de evangelização de crianças e jovens, com catequese e missas dominicais.

O intercâmbio missionário foi – e vai – em direção ao que propôs o Sínodo Arquidiocesano, realizado em 2009 e cujo tema foi “Arquidiocese de Juiz de Fora, uma Igreja sempre em missão”. Além disso, cumpre aquilo que Papa Francisco tem insistido em suas pregações: a necessidade de uma Igreja em saída e que olhe para as periferias.

A possibilidade de uma base avançada de missionários no Haiti se soma à iniciativa já existente na Diocese de Óbidos (PA). Na Igreja-Irmã, a Arquidiocese de Juiz de Fora é responsável pela Paróquia São Martinho de Lima, para onde envia sacerdotes e leigos.

O que é a Missão Continental Arquidiocese JF | Haiti?

Durante a viagem, a comitiva arquidiocesana reuniu um vasto material – entre fotos, vídeos e relatórios – com o objetivo de embasar o planejamento do projeto missionário, que já começou a sair do papel. A Arquidiocese de Juiz de Fora é, agora, responsável por um projeto de prestação de serviços profissionais voluntários de nível universitário e técnico, que objetiva o envio, ao Haiti, de médicos, dentistas, enfermeiros, engenheiros, panificadores, confeiteiros, pedreiros e professores, além de padres, religiosos e leigos para o trabalho Pastoral.

Nossa Igreja Particular também se incumbirá de ações de cunho social, como o apadrinhamento de crianças haitianas, incentivos em educação, arrecadação de donativos financeiros, medicamentos e alimentos. Empresas de Juiz de Fora e região também são chamadas a associarem suas marcas a esse projeto de solidariedade.

O trabalho acontece em parceria com os Franciscanos na Providência de Deus Missão Haiti, que estão no país caribenho desde 2010 realizando um maravilhoso trabalho de saúde, nutrição e educação – tudo de forma gratuita. Os projetos desenvolvidos pela Arquidiocese de Juiz de Fora serão um suporte às ações já desenvolvidas pela associação franciscana, aumentando seu foco de ação e melhorando as condições desumanas em que os irmãos haitianos vivem.

O projeto conta com uma coordenação composta pelos membros que estiveram no Haiti em 2017, sob a presidência de Dom Gil Antônio Moreira, e a participação de outros profissionais da sociedade civil que se sensibilizaram pela causa. Atualmente, cerca de 15 pessoas fazem parte do projeto.

A primeira etapa da Missão foi pautada da seguinte forma:

1)  Dentistas Missionários Continentais;
2) Médicos Missionários Continentais;
3) Empresários Missionários Continentais;
4) Economistas, Administradores e Contadores Missionários Continentais.

Outros grupos serão formados segundo as necessidades indicadas pelos Franciscanos no Haiti, que já estão em plena atividade no país.

Os Objetivos da Missão

      1. Objetivo Geral:

Promover a construção de uma cultura de amor, desenvolvendo e fortalecendo pensamentos e atitudes que visem o resgate da dignidade humana de todos os envolvidos através de ações em Saúde e Educação.

      2. Objetivos específicos:

– Ofertar serviços gratuitos e de qualidade às famílias haitianas atendidas pela Associação São Francisco de Assis na Providência de Deus, a partir de profissionais da área de medicina, odontologia, serviço social, engenharia, empresarial e educação;

– Estimular pessoas nessas áreas para ofertarem seus serviços de forma voluntária em terras haitianas, por um período de tempo determinado;

– Incentivar todos os setores da economia (primário, secundário e terciário) a serem parceiros do projeto, contribuindo com suas ações e necessidades;

– Colaborar com a ação evangelizadora nas comunidades católicas.

Conta para doações

Banco: Caixa Econômica Federal
Agência: 3029
Operação: 003
Conta Corrente: 3174-8

Site Oficial: www.missaojfhaiti.org

X