social facebook social twitter social youtube

Comunidade celebra Sexta-feira da Paixão

*Texto e fotos: Assessoria de Comunicação – Catedral Metropolitana

17951456 1273163216064942 1878511775777555249 nCerca de 10 mil pessoas passaram pela Catedral nessa Sexta-feira da Paixão, 14 de abril. O dia foi marcado pelo silêncio, reflexão e oração, na celebração que relembrou a morte e a paixão de Jesus.

Durante a manhã, o arcebispo metropolitano, dom Gil Antônio Moreira, abençoou a nova imagem do Senhor Morto para a veneração dos fiéis. Ele explicou que a imagem foi esculpida pelo artesão de São João Del Rei, Osnir Paiva, e tem como objetivo mostrar com expressividade os sofrimentos pelos quais Jesus passou.

“[A imagem] Nos ajuda e reconhecer o grande amor que Deus teve para conosco, em dar o seu Filho na cruz para nos salvar. E a mensagem da Sexta-feira Santa é a de que ninguém tem amor maior do que aquele que dá a vida pelos outros. Essa imagem nos ajudará a meditar sobre tudo isso e, também, a aprofundar a nossa fé e o nosso amor a Deus e aos outros”.

Segundo o pároco da Catedral, monsenhor Luiz Carlos de Paula, neste dia de jejum, de oração e de abstinência de carne os fiéis são chamados a pensar no sentido da própria vida e a confiar mais em Deus. “Na Sexta-feira Santa estamos aqui para agradecer o amor que Deus tem por nós. Ao contemplar a imagem do Senhor Morto, estamos contemplando o amor de Deus, porque prova de amor maior não há do que dar a vida pelos seus”.

Para o economista Marcelo Vieira, 30 anos, a imagem contribui para refletir sobre o sofrimento do Senhor. “É uma grande alegria poder venerar essa imagem que nos faz mergulhar no profundo sentido da dor que Cristo experimentou por cada um de nós”, completa.

18010178 1273165172731413 2895284106688956390 nÀs 09h, foi realizada a Via-Sacra pelas ruas da cidade, que também foi conduzida pelo arcebispo. Os fiéis refletiram e reviveram os últimos momentos de Jesus antes da crucificação, com o livrinho da Campanha da Fraternidade 2017, que teve como tema “Fraternidade: biomas brasileiros e defesa da vida” e o lema “Cultivar e guardar a criação” (Gn 2,15).

Dom Gil também presidiu a Ação Litúrgica que aconteceu às 15h e proferiu o Sermão do Descendimento, às 19h. Em seguida, participou da procissão pelas ruas do centro da cidade, com as imagens do Senhor Morto e de Nossa Senhora das Dores.


Outras informações:
Assessoria de Comunicação Arquidiocese de Juiz de Fora: (32) 3229-5450

Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9
  • 10
Prev Next