social facebook social twitter social youtube

Milhares de fiéis participam de missa em Dores do Paraibuna

DSC 0221No último domingo, 2 de abril, milhares de pessoas participaram de Santa Missa realizada nas ruínas da antiga Matriz Nossa Senhora das Dores, em Dores do Paraibuna, distrito de Santos Dumont/MG. O templo, cercado pelas águas da Represa de Chapéu D’Uvas, recebeu uma celebração depois de 22 anos.

A missa foi presidida pelo arcebispo metropolitano de Juiz de Fora, Dom Gil Antônio Moreira, e concelebrada pelo administrador da paróquia local, Padre Fransérgio Garcia, e outros sacerdotes. A celebração, marcada para as 15h, atrasou cerca de uma hora por conta do número de pessoas – em carros, ônibus e cavalos – que se deslocavam para o local, que é de difícil acesso.

Independente da dificuldade, os fiéis lotaram as dependências da igreja, suas escadarias e todo o entorno. Ao ser acolhido pelo povo presente, Dom Gil exclamou: “Meu irmãos e minhas irmãs, Jesus e Maria estão de volta a esta casa!”. Ao fim da missa, foi entronizada na igreja uma pequena imagem de Nossa Senhora Dores, que lá ficará para veneração. A escultura chegou ao local em um barco, levada por pescadores, lembrando os 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida nas águas do Rio Paraíba do Sul.

Durante a celebração, Dom Gil e Padre Fransérgio anunciaram o desejo de que a antiga Matriz de Dores do Paraibuna seja reconstruída, o que só será possível com o apoio do Poder Público, agora dono do terreno. “Há 22 anos esta igreja foi desativada por ordem do governo, contra a vontade do povo. Com muito entusiasmo, as pessoas voltam e esperam o apoio das autoridades para reconstruir esse templo. A reconstrução dessa igreja será um símbolo do respeito, da defesa da vida e da natureza, a casa comum que Deus preparou para todos nós”, afirmou Dom Gil.

Padre Fransérgio lembrou a relação entre a Santa Missa na igreja em ruínas e a Campanha da Fraternidade 2017, cujo tema aborda “Biomas brasileiros e defesa da vida”. “Esta não é mais a missa nas ruínas, é a missa da igreja em construção. Essas pessoas sofreram, choraram e hoje elas têm a alegria de voltar aqui dentro desta Campanha da Fraternidade tão bonita, para celebrar esta Eucaristia, sinal de vida, sinal do amor do Pai para com cada um deles”.

DSC 0245Além da realização de Santa Missa, durante a qual Dom Gil abençoou o Rio Paraibuna e a natureza em torno do local, uma árvore, ao lado do templo religioso, foi motivo de atenção. Em um de seus galhos havia uma espécie de espuma branca - tida por muitos como uma pedra de gelo - que pingava a todo instante. As gotas eram disputadas pelos fiéis, que consideraram o fato uma obra de Deus. Pessoas que estiveram no local para limpeza afirmam que a espuma apareceu na árvore há cerca de 15 dias.

Clique aqui e confira mais fotos da missa desse domingo (2).


Outras informações:
Paróquia Nossa Senhora das Dores – Dores do Paraibuna: (32) 3252-3049
Assessoria de Comunicação Arquidiocese de Juiz de Fora: (32) 3229-5450

Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9
  • 10
Prev Next