social facebook social twitter social youtube

Artes na Catedral Metropolitana de Juiz de Fora

A Sagrada Escritura nos revela que desde os tempos do Antigo Testamento, o Povo de Deus sempre teve um cuidado muito grande para com o Templo de Deus, a Morada do Altíssimo: “O zelo pela tua casa me consome” (Sl 69,10). Assim sendo, também os juiz-foranos com seus líderes católicos cuidaram e cuidam muito bem da Catedral e das demais igrejas.

A nossa Catedral Metropolitana foi construída em estilo romano. Ela possui seis altares laterais (Nossa Senhora de Fátima, São Francisco, Santa Mônica, Sagrado Coração de Jesus, Sagrado Coração de Maria, Nossa Senhora do Carmo), além do altar-mor. Diversos vitrais enfeitam a Igreja. No altar-mor, há três imagens: a do padroeiro, Santo Antônio, Nossa Senhora e São José. Um painel de mármore que retrata a morte de Santo Antônio enfeita o local, junto com desenhos de trigo e uva. A Igreja possui uma belíssima imagem de “Santo Antônio” que, recentemente, foi restaurada.

Outro destaque da Catedral são as pinturas. No altar principal, a Santíssima Trindade e Jesus pregando para os doutores da lei e para as multidões que o seguiam. Há, debaixo da abóboda, pinturas dos quatro evangelistas. No corredor, estão: Cordeiro de Deus, São Pedro e São Paulo, Anjos e Santa Cecília. Cada altar lateral também possui sua respectiva pintura e na entrada, perto da porta principal, São Pio X. Os quadros da Via-Sacra são feitos de gesso, coloridos e em alto relevo. Na área externa, próximo ao portão de entrada da praça temos uma estátua em tamanho natural de Dom Justino José de Sant’ana, primeiro Bispo de Juiz de Fora.

“A arte sacra é verdadeira e bela quando corresponde, por sua forma, a sua vocação própria: evocar e glorificar, na fé e na adoração, o Mistério transcendente de Deus, beleza excelsa invisível de verdade e amor, revelada em Cristo, ‘resplendor de sua glória, expressão de seu Ser’ (Hb 1,3), em quem ‘habita corporalmente toda a plenitude da divindade’ (Cl 2,9), beleza espiritual refletida na Santíssima Virgem Maria, Mãe de Deus, nos anjos santos. A arte sacra verdadeira leva o homem à adoração, à oração e ao amor de Deus Criador e Salvador, Santo e Santificador’. (Catecismo da Igreja Católica §2502)

Nos últimos anos, a Catedral vem sendo reformada com grande cuidado para que seja respeitada a sua história. A pintura da cúpula, que está em fase de conclusão, retrata a Assunção de Nossa Senhora, Mãe de Deus e nossa e Santo Antônio, em três momentos de sua vida: na pregação aos peixes, na passagem em que a mula se curva diante do Santíssimo Sacramento e na sua ida para o céu, sendo acolhido por Jesus. Em breve começaremos a fase de restauração e pintura interna recuperando as pinturas antigas.
Como afirmou o Papa Francisco: “Em todas as épocas, a Igreja apelou às artes para dar expressão à beleza de sua fé e proclamar a mensagem evangélica da magnificência da criação de Deus, da dignidade do homem, criado à sua imagem e semelhança, e do poder da morte e ressurreição de Cristo levar redenção e renascimento a um mundo marcado pela tragédia do pecado e da morte”.

A Arte Sacra evangeliza, abre o coração do ser humano para que ele possa acolher Deus e a sua Palavra e assim, viver em comunhão com Aquele que é digno de toda honra e toda glória.

Dom Gil Antônio Moreira
Arcebispo Metropolitano de Juiz de Fora

Artigos

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9
  • 10
Prev Next