social facebook social twitter social youtube

90 anos do Seminário Santo Antônio

Entre os ensinamentos de Jesus aos seus discípulos, destaca-se lugar privilegiado às lições de misericórdia. Expressões do Divino Mestre como “Sede misericordiosos como vosso Pai é misericordioso”, equivalem a outras semelhantes como roteiro de vida: “Sede perfeitos como vosso Pai celeste é perfeito” e ainda “Sede santos como vosso Pai celeste é santo”. Tais lições se destinam a todos os que nele creem, mas têm lugar especialíssimo para a vida dos que se consagram ao sacerdócio. 

Nosso Seminário Santo Antônio comemorou 90 anos de fundação no dia 1º de março último, tendo sido fundado pelo primeiro bispo, Dom Justino José de Santana (1924-1958). Organizou-o de forma excelente, como Seminário Menor, recebendo alunos para os cursos ginasial e científico. Para a filosofia e a teologia, os perseverantes eram enviados ao histórico Seminário Maior São José de Mariana. Nestes dois celeiros de vocações, foram formados centenas de bons padres, autênticos discípulos do Bom Pastor e Mestre da Misericórdia, dos quais vários ainda convivem conosco e são modelares para os padres mais jovens e seminaristas de hoje.

Em 1969, Dom Geraldo Maria de Morais Penido (1958-1976), primeiro Arcebispo Metropolitano, fundou o Seminário Maior em Juiz de Fora, iniciando com o curso de filosofia e, em 1981, Dom Juvenal Roriz inaugura o curso de teologia. Estas novas fases foram motivadas pelas inovações do Concílio Vaticano II (1962-1965), marcando fortemente o crescimento espiritual e pastoral de alunos da Arquidiocese local e outros pertencentes a outras dioceses e a várias congregações religiosas.

Segundo as orientações comuns da Igreja em todo o universo, e em particular em nosso país, a formação passou a primar pelos quatro grandes pilares: formação espiritual, formação intelectual, formação humano-afetiva, e formação pastoral. Centrado no eixo integrador da pastoral, o Seminário se destacou pela preocupação com as periferias, antecipando as atuais orientações de Papa Francisco.

Sem dúvida, devemos elevar agradecimentos a numerosas pessoas que nestes 90 anos compuseram o corpo docente, o quadro dos funcionários e colaboradores desta escola do evangelho, porquanto dedicaram trabalhos incansáveis na preparação de diáconos e presbíteros. Como símbolo de gratidão a esta boa gente que dignifica a história eclesiástica local, é justo destacar os nomes dos reitores: 1°) Côn. Afonso Daniel Intrieri (1926-1927); 2°) Côn. Raimundo Rodolfo Corrêa (1927-1928); 3°) Pe. Francisco de Paula T. Salgado (1928-1930); 4°) Pe. Vicente Sombrok (1930); 5°) Pe. João Maria Riolo (1930); 6°) Mons. Cícero Portela (1930);7°) Pe. Demerval Gomes (1930); 8°) Pe. Saturnino Casas (1930); 9°) Pe. Abílio Mendes (1930); 10°) Pe. José Leite (1931-1933); 11°) Pe. Apolônio Rodrigues (1933-1934); 12°) Pe. José Ferrer d’ Afonseca (1934-1945); 13°) Pe. José Eugênio Corrêa (1945-1947);14°) Pe. Wilson Vale da Costa (1949-1952); 15°) Côn. Antônio Pacheco (1952); 16°) Mons. Luiz de Freitas Pires (1952-1978); 17°) Mons. Osvaldo Ribeiro Lage (1979-1984); 18°) Pe. Eduardo Benes de Sales Rodrigues (1985-1988);19°) Pe. Walmor Oliveira de Azevedo (1989-1998); 20°) Pe. Geraldo Dondici Vieira (1998-2003); 21°) Pe. João Justino de Medeiros Silva (2004-2011); 22°) Pe. Geraldo Dondici Vieira (2012 -...).

Agradecimentos sejam levantados a Deus por todos os benefícios e pela força dada nos momentos difíceis, além de súplicas para que continue assistindo a formação de novos discípulos e missionários da misericórdia para hoje e amanhã, em favor do Povo de Deus.

Dom Gil Antônio Moreira
Arcebispo Metropolitano de Juiz de Fora

Artigos

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9
  • 10
Prev Next