A Cúria da Arquidiocese de Juiz de Fora: Chancelaria

0

Nossa série de reportagens sobre a Cúria Metropolitana avança. Desta vez, vamos entender o trabalho da Chancelaria. O setor possui definidas, no Código de Direito Canônico, sua obrigatoriedade e suas funções: redigir, despachar e arquivar os Atos da Cúria, e existe na Igreja desde seus primórdios.

A Chancelaria é constituída por um chanceler, o Padre Eder Luiz Pereira, e uma notária, Rosana Rodrigues de Medeiros Borelli. Eles são responsáveis por preparar muitos documentos como, por exemplo, nomeações, provisões, decretos, documentos de ordenações e documentos sacerdotais, além de despachar os atos do Arcebispo, que são todos os documentos por ele emitidos.

O trabalho do setor, que possui uma sala só para seus arquivos, é como o de uma grande secretaria, pois é o principal responsável por organizar os documentos da Cúria. Por conta da burocracia, quase tudo passa pelas mãos do chanceler e da notária. Outro ponto merece destaque: o Código de Direito Canônico exige que se guarde com o máximo cuidado todos os documentos (Cân. 486).

Além de zelar pelos documentos que precisam da autorização do Arcebispo ou do Vigário Geral, a Chancelaria também recolhe dados estatísticos das paróquias, instituições e organismos da Igreja presentes na Arquidiocese e transmite as informações à Santa Sé. Tal relatório compõe a estatística anual da Igreja Católica no mundo, auxiliando, assim, os pastores da Igreja a compreenderem as suas ovelhas.

Esse relatório estatístico, inclusive, é a principal razão de o início do ano ser um período de muito trabalho para o setor. Para respondê-lo corretamente, a Arquidiocese deve informar número de celebrações, batizados, transferência de padres, participação das missas e números de pastorais, entre outros dados. “Todos os anos enviamos uma pesquisa para as paróquias. Depois, nós temos que fazer um relatório de acordo com que a Santa Sé pede”, explica Padre Eder Luiz.

O sacerdote reassumiu o posto de Chanceler em julho deste ano, mas já havia trabalhado dois anos e meio nessa função, entre 2014 e 2016. Ele lembra que “chancela” é carimbo, ou seja, dá legitimidade e organiza aos documentos.

Confiança, organização e legitimidade resumem a Chancelaria. Seu expediente na Cúria é das 8h às 12h e de 13h às 17h.

Conteúdo Relacionado
X